segunda-feira, 23 de abril de 2012

Destino - D. Donson

  Chega a ser uma mutação: meu mundo cai várias vezes e eu me adapto rapidamente aos novos sentimentos. No instante seguinte, sou obrigado a esquecer o que eu sentia, fingir que não existe, até que não existe mais.

Será esse o meu destino: viver de glória em glória e de realidade em realidade. Sem nunca encontrar o meu centro, resignação e novo amanhecer. Desertos e dilúvios, amor e desencanto. Violento e fugaz, eu amo tudo de uma vez, guardo sempre um pouco mais.

2 comentários:

Tracy Ellen disse...

me da paz vir aqui!

Deni Rogê disse...

Vc ainda consegue ser o maior tradutor de sentimentos....