quinta-feira, 18 de março de 2010

Coração Quase Novo...


"Por mais que as cruentas e inglórias batalhas do cotidiano tornem um homem duro ou cínico o bastante para fazê-lo indiferente às desgraças e alegrias coletivas, sempre haverá no seu coração, por minúsculo que seja, um recanto suave no qual ele guarda ecos dos sons de algum momento de amor que viveu em sua vida". Plínio Marques

2 comentários:

joyce domingos disse...

sim,sim dani....

sempre há resquícios do amor.....

lindo dani!!


bjbj

Thayla Ramos disse...

É como diria um poema de Mário Quintana, Dani:
"O meu amor, o meu amor, Maria
É como um fio telegráfico da estrada
Aonde vêm pousar as andorinhas(...)

(...) No entanto, Maria, o meu amor é sempre o mesmo:
As andorinhas é que mudam."

Tem coisas lá no fundo do coração que de fato nunca mudam.

Beijos honey! ;)